Semana da Biodiversidade – Dia #1: Você conhece os Brejos de Altitude?

Postado em 18/05/2020

Começamos a semana da biodiversidade destacando um belíssimo e importante ecossistema presente no Nordeste do Brasil: os Brejos de Altitude. Afinal, quando falamos em biodiversidade, não estamos falando apenas de espécies e de variações genéticas, mas também incluímos a variedade de ecossistemas existentes!

Os Brejos de Altitude são encraves (ou ilhas) de Mata Atlântica presentes ao longo do bioma Caatinga, ocorrendo em regiões com relevo acidentado e elevado. Devido a esta elevação, estas regiões apresentam temperaturas mais amenas e maior umidade, condições ideais para o estabelecimento das espécies de Mata Atlântica.

Por serem ecossistemas muito particulares, os Brejos de Altitude apresentam alta biodiversidade e endemismo* de espécies, abrigando diversas espécies únicas, raras e ameaçadas, como a Surucucu (Lachesis muta), além de prestar diversos serviços ecossistêmicos** para a população local, atuando como áreas de recarga hídrica, controle do clima e barreira contra o avanço da desertificação.

Por outro lado, estas áreas estão em perigo devido a perturbações humanas, como desmatamento ilegal, caça e exploração de recursos florestais. Além disso, também sofrem as ameaças decorrentes das mudanças do clima, uma vez as alterações nos regimes de chuva e nas temperaturas médias pode levar ao completo desaparecimento destes ambientes.

Em 2019, o CEPAN conduziu estudos para subsidiar a criação de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN, um tipo de Unidade de Conservação privada) em Belo Jardim – PE, numa área de 349 hectares de Brejo de Altitude em elevado grau de conservação. Para esta área, foram identificadas 150 espécies de plantas pertencentes a 49 famílias, como o Angico-monjolo (Parapiptadenia zehntneri) e o Cedro-cheiroso (Cedrela odorata); e 118 espécies de mamíferos, aves e répteis, distribuídos em 47 famílias foram encontrados. Algumas das espécies ameaçadas são o Gato-do-mato (Leopardus tigrinus) e o Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla). Imagina só a diversidade de invertebrados da área?

Por conta de sua alta riqueza de espécies, esta é uma importante área para a conservação da biodiversidade nos Brejos Nordestinos. Esta exuberante floresta também apresenta um papel fundamental na provisão de água para comunidades vizinhas, sendo um elemento crucial para a segurança hídrica dos moradores de Belo Jardim. Também realizamos uma série de estudos de viabilidade de projetos socioambientais na área, integrando ecoturismo, pesquisa e restauração florestal, de forma a aproximar pessoas e áreas naturais de maneira cada vez mais sustentável e respeitosa.

Não perca a série do CEPAN sobre a Semana da Biodiversidade. A cada dia, um post cheio de informações. Interaja conosco e compartilhe na rede!

#CEPAN #SemanaDaBiodiversidade #BrejosDeAltitude #BeloJardim #MataAtlântica  #Caatinga #Biodiversidade #AtlanticForest #Biodiversity

————-

* Endemismo: é definido como a ocorrência de espécies com distribuição geográfica exclusiva a uma área ou região. Assim, uma espécie que apresente esta característica é considerada espécie endêmica.

** Serviços Ecossistêmicos: são os benefícios da natureza para os seres humanos. Podem ser classificados como serviços de provisão (água, alimentos, fibras, madeira e outros recursos naturais), regulação (controle dos regimes de chuva, regulação da temperatura, qualidade do ar e água, controle da erosão, dentre outros); e culturais (beleza cênica, valor científico, patrimônio cultural e religioso, turismo, dentre outros).


Todas as notícias...