Restauração florestal de paisagens tropicais é tema de novo livro do Cepan

Postado em 16/03/2021

Publicação internacional reúne estudos de caso sobre aplicação da RPF aliada a oportunidades socioambientais em países de clima tropical

Está no ar nesta terça-feira (16/03) o mais novo livro editado pelo Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan), em parceria com a Universidade de British Columbia (UBC – Canadá). A publicação científica, de abrangência internacional, versa sobre a aplicabilidade do conceito de Restauração de Paisagens Florestais (RPF) em diferentes áreas de clima tropical e os impactos socioeconômicos e ambientais para as populações que nelas vivem.

Intitulado “Restauração de Paisagens Florestais e Oportunidades Sociais no Mundo Tropical”, o livro, disponível até então em inglês, apresenta estudos de casos de implementação do método da RPF em vários países tropicais do mundo – Gana, Senegal, Chile, Honduras, Colômbia, México e, sobretudo, Brasil. Em 277 páginas, a obra avalia as dimensões humanas e sociais no planejamento, execução e monitoramento desses projetos. A versão em português tem lançamento previsto até o final do primeiro semestre.

Para a produção da obra, foram consultadas instituições e parceiros técnicos do Cepan e da UBC, resultando em um vasto apanhado de informações científicas e projetos realizados que apresentam desafios, cenários e resultados expressivos na geração de oportunidades sociais através da RPF. Colaboraram como autores 71 profissionais de quase 30 instituições do Brasil e do mundo, sob edição de Severino Ribeiro, presidente do Cepan; Fabiane Santos, analista de projetos do Cepan; e Cindy Prescott, professora e diretora do departamento de Ciências Florestais e Conservação da UBC.

No prefácio da publicação, os editores são contundentes – a abordagem RPF – do inglês, Forest Landscape Restoration (FLR) – ganha protagonismo pois visa entender e recuperar a funcionalidade ecológica de ecossistemas ao nível de paisagem. Isso significa entender os impactos sociais, econômicos e de bem estar das populações que estão ligadas aos territórios trabalhados, garantindo segurança alimentar, hídrica e energética em consonância com entendimento de culturas e costumes das comunidades envolvidas.

“A publicação é uma tentativa de trazer a importância da perspectiva acadêmica, técnica e científica de projetos de restauração de paisagens associados a ações práticas. Em 13 capítulos, os leitores terão oportunidade de entender conceitos básicos e atuais da restauração de paisagens e como essas ações podem gerar oportunidades. Há exemplos belíssimos que mostram que a restauração de paisagens passa por um filtro social para que se possa ter longevidade e sucesso em todas as etapas de implementação de projetos dessa natureza”, pontua Severino Ribeiro.

Nas páginas seguintes, os leitores conferem detalhes sobre projetos que aplicam a RPF no Brasil e no mundo. Da África, surgem relatos de implementação do método com oportunidades socioeconômicas em Gana; e da redução da fome e da pobreza por meio da agroecologia no Senegal. Já nas Américas, há testemunhos de mapeamentos e aceleração de restauração de paisagens no Chile e em Honduras; da dimensão humana em processos realizados em territórios indígenas no México; e ainda um portfólio de boas práticas implementadas na restauração da Amazônia colombiana.

Acerca da aplicação da RPF em solo brasileiro, o livro aborda iniciativas como – pesquisas e estudos de caso sobre a restauração da Mata Atlântica em diferentes níveis, demonstrando apoio a pequenos(as) proprietários(as) e produtores(as) que habitam essas regiões; perspectivas e desafios para planejamento da restauração em sistemas socioecológicos na Caatinga; novas formas de parcerias para ganho de escala das ações executivas de restauração; e ainda a geração de benefícios socioeconômicos pelas redes de sementes na Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica. 

“Desejamos inspirar e motivar o público a utilizar a abordagem da RPF como importante ferramenta de planejamento de transformação territorial. Entendemos que, no cenário atual da restauração, a integração da dimensão humana aos projetos é cada vez mais urgente, uma vez que as relações entre ambientes naturais e sociedade foram historicamente transformadas em ‘zonas de conflito’, principalmente em regiões tropicais. É necessário reverter esse cenário, aproximando pessoas para que essas relações sejam cada vez mais prósperas e seguras a longo prazo”, classifica Fabiane Santos. 

A publicação está disponível para download gratuito no site do Cepan. Nas próximas semanas, também será realizada uma transmissão ao vivo do lançamento do livro, em uma conversa com autores/as convidados/as. Na página virtual do livro, há também a opção de realizar doações espontâneas para apoiar projetos de restauração no Brasil, desenvolvidos pelo Cepan junto a parceiros locais.


Todas as notícias...