Protagonismo feminino em restauração florestal pelo Cepan em Minas Gerais

Postado em 25/03/2021

A instituição promoveu restauração florestal em 15 hectares de Cerrado em parceria com os coletores da rede Sementes do Paraíso, associação liderada pela bióloga Madalena Izabel Ferreira 

O Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan) concretizou, neste início de 2021, sua primeira ação de restauração florestal no Cerrado. Entre dezembro de 2020 e o último mês de janeiro, foram reflorestados 15 hectares em pequenas propriedades rurais localizadas no município de São João do Paraíso, norte de Minas Gerais, uma parceria com a rede Sementes do Paraíso, liderada pela Madalena Izabel Ferreira, referência feminina em ações ambientais da região. 

Através da prospecção de parceiros para ações de restauração via semeadura direta, a coletora fez contato com o Cepan e demonstrou interesse em colaborar com a instituição propondo atividades de restauração na localidade. Bióloga, Madalena Ferreira está à frente da Sementes do Paraíso, pequena organização de coletores que capta e comercializa sementes de espécies nativas do Cerrado e promove ações de restauração florestal a fim de proteger nascentes da região.

Madalena contou com suporte técnico da equipe do Cepan por quase um mês, pela qual recebeu orientações sobre como melhorar o preparo das muvucas e a elaborar planos de plantio. A aplicação prática do conteúdo, aliado à experiência e ao protagonismo da bióloga na região, rendeu um total de 472 kg de sementes coletadas e beneficiadas, plantadas por semeadura direta, com a perspectiva de geração de 63 mil novas árvores nos 15 hectares reflorestados. 

“Foi uma experiência marcante. O Cepan sempre busca parcerias com atores sociais locais para as ações de restauração, de forma a empoderar o trabalho dessas pessoas e motivá-las a prosseguir integrando nossas atividades. Trabalhar com Madalena foi uma maneira de empoderar e incentivar uma liderança feminina e jovem dentro da cadeia produtiva de restauração florestal na região geraizeira, no norte de Minas Gerais”, comenta o coordenador geral do Cepan, Joaquim Freitas.

Em dois meses de atividades, Madalena Ferreira e sua equipe realizaram semeadura direta em pequenas propriedades rurais que disponibilizaram suas áreas degradadas para as atividades. Boa parte dos plantios ocorreu pela técnica de enriquecimento, trazendo o plantio de sementes de espécies arbóreas com ciclos sucessionais – tais como Ipê Rosa, Tamboril, Jatobá-da-mata, entre outras – para elevar a diversidade da vegetação nas áreas restauradas.

O reflorestamento em São João do Paraíso (MG) teve incentivo da Ecosia e tem como objetivo a recuperação de nascentes na região, visando potencializar a produção de alimentos. “A ideia é melhorar a segurança hídrica desses proprietários rurais, reflorestando o entorno das nascentes e áreas de recarga dessas nascentes”, detalha Joaquim.

 


Todas as notícias...