Cepan conclui estudos para restauração no entorno da Barragem de Serro Azul

Postado em 20/01/2021

A instituição analisou documentos, realizou levantamentos e, por meio de visitas de campo e mapeamentos, estruturou Projetos Executivos de Restauração Florestal para recuperar áreas no entorno da barragem

O Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan) entregou neste janeiro de 2021 Projetos Executivos de Restauração Florestal (PERFs) que orientam ações de reflorestamento no entorno da Barragem de Serro Azul, nos municípios de Palmares, Bonito e Catende, entre a Mata Sul e Agreste Central de Pernambuco. Os documentos reúnem avaliações técnicas e identificam oportunidades e metodologias para restauração ecológica na região, com base em estudos detalhados realizados nos últimos quatro meses.

Através de chamamento da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos (SEINFRA) e da  Secretaria Executiva de Recursos Hídricos (SERH) do Estado de Pernambuco, o Cepan promoveu um estudo minucioso para subsidiar a elaboração dos PERFs. Os trabalhos iniciaram em setembro de 2020, a princípio com avaliação e atualização de diretrizes estabelecidas antes e durante a construção da barragem, em 2017. A equipe técnica recorreu à literatura especializada, artigos, dissertações, entre outros escritos, para atualizar procedimentos e embasamentos teóricos.

Posteriormente, em outubro de 2020, deu-se início às visitas de campo. O Cepan analisou sete áreas estratégicas envolvendo a Área de Proteção Permanente (APP) da barragem, seu entorno e também territórios circunvizinhos. O estudo diagnosticou, através das visitas e dispositivos de georreferenciamento, aproximadamente 3.243 hectares, realizando uma priorização entre 403,55 hectares destinados à ações de restauração (áreas de APP e de reposição florestal), com base em critérios de viabilidade, fatores de degradação, conectividade estrutural de fragmentos na paisagem e tipo de uso de solo. 

Na caracterização vegetal, foram identificadas 336 espécies de plantas de 76 famílias distintas, como Fabaceae e Myrtaceae. Entre as árvores, duas espécies classificadas como quase ameaçadas se destacam – Ipê-Roxo (Handroanthus impetiginosus) e Sucupira (Bowdichia virgillioides). Na região no entorno da barragem, há predominância do bioma da Mata Atlântica e de alguns trechos de Caatinga, com usos de solo com marcas de atividades canavieiras e agropecuárias. 

O Cepan conduziu também uma análise de documentos que reuniam informações sobre atividades de resgate, afugentamento, captura e monitoramento da fauna local, com base em trabalhos realizados em 2016, antes do funcionamento da barragem. A instituição elaborou laudo recomendando uma avaliação mais profunda das espécies presentes na região, bem como dos métodos de supressão vegetal utilizados na localidade. O intuito é conhecer melhor o território e suas características para aumentar o êxito nas intervenções ecológicas.

Com orientações de pré-plantio, isolamento de áreas, preparação de solo, metodologias de plantio, manutenção e monitoramento das áreas, os PERFs vão ajudar a SEINFRA a nortear medidas práticas de reflorestamento no futuro. “Os documentos subsidiarão a execução de ações futuras de restauração nas áreas do entorno da barragem, para cumprimento das obrigações legais, como recuperação das Áreas de Preservação Permanente e Reposição Florestal”, avalia Emanuelle Souza, analista de projetos do Cepan.


Todas as notícias...